domingo, 6 de março de 2016

Textual description of firstImageUrl

DELTA ONE: VAI SER "ONE" TRIP MESMO

Como já havia dito aqui, a Delta me convidou para experimentar três cabines de seus voos. A primeira a Delta One que é a classe executiva de todos os seus voos que operam no Brasil. A segunda a Primeira Classe Transcontinental na rota Orlando - Los Angeles, e por fim a Shuttle que opera de Los Angeles para São Francisco. Muito bem, vou começar de trás para frente por ser mais fácil. 

A cabine shuttle que faz pontes aéreas rápidas é igual a todas as outras cias aérea com diferencial no serviço. A equipe de bordo é bem rápida e consegue oferecer um lanchinho num voo de menos de 1h. Apesar de não haver diferenciação de class, tem a Delta Comfort que tem um pouco a mais de espaço para as pernas. É servido uma bebida não alcoólica e um pequeno sanduíche para todos. Para um serviço de ponte aérea tive uma impressão melhor do que a American Airlines. Lembre-se que você pode clicar nas fotos a qualquer momento para ampliá-las.



Já no voo de Orlando para Los Angeles fomos no novo Boeing 737-800 com Sky Interior, mas nada disso me atrai, pois o importante é espaço a bordo e serviço. Achei a poltrona ruim, na verdade é igual a primeira classe doméstica da American. Parece que mesmo para grandes distâncias não existe um esforço das cias americanas em tornar mais confortável a viagem para um passageiro de primeira classe. Eu confesso que estava numa expectativa maior para esse trecho, no entanto a qualidade da comida me surpreendeu, e muito, bem como o serviço. Diferente de outras cias americanas, a equipe de bordo da Delta foi muito simpática, solícita, e prestativa, sempre com um sorriso no rosto. No que se refere a serviço e refeição, nota muito alta para a Delta, e me faz querer escolher a cia para voos não muito longos dentro dos Estados Unidos.



Agora, vamos ao voo mais importante de todos, o voo inaugural de São Paulo a Orlando com a famosa Delta ONE. Eu cheguei a brincar e disse que vai ser ONE mesmo, só essa, porque nem pagando eu viajo mais, mas não foi uma experiência tão ruim assim, e sim meus padrões que são altos. Vamos lá:

Primeiramente, não gostei da fila do check-in para passageiros da classe executiva. Achei que o serviço começou tarde, e isso criou uma fila gigante, e fila irrita qualquer um, sendo que na minha opinião, justamente o "Sky Priority" não pode ter fila alguma, senão deixa de ser prioridade como o próprio nome diz. 


Depois do check-in fui para a sala vip do Smiles, já que a Delta não tem espaço em Guarulhos, o que é um absurdo. A Sala Vip do Smiles não é ruim, mas também não é boa. Fiquei tão triste com isso que decidi ir para o Admiral's Club, e fiquei lá até o momento do embarque, mesmo que para isso fosse necessário atravessar quase 1km de terminal. Vale ressaltar que me foi franqueada a entrada por eu ser Concierge Key com a AA, o que me permite usar a sala vip da AA, mesmo voando em outra cia aérea. Quem acompanhou no Snapchat pode ver todo o desenrolar da situação, e acabei não tirando fotos da sala vip do Smiles.

Então chegou a hora do embarque, o que também foi uma zona. Eu achava que a AA não sabia embarcar seus clientes direito, mas a Delta faz um serviço pior ainda. Tem muita gente que se aproveita da desorganização da Delta para embarcar antes, e com isso acaba atrapalhando o fluxo. Como estava com um dos meus melhores amigos prestes a embarcar para Nova York, resolvi ficar com ele até o embarque, e depois voltei para embarcar no voo da Delta.

Atualmente a Delta anuncia muito sobre sua classe "Delta One", mas preciso ser honesto, quando aceitei o convite da Delta, fui bem claro e afirmei que a avaliação seria imparcial, e preciso confessar que a poltrona, apesar de confortável é apertada. Com isso você não fica com muito espaço para se mover dentro do assento, porém obviamente ainda é melhor viajar ali do que na econômica. O encosto do braço é fixo, o que atrapalha quando o assento vira cama. Então com relação ao conforto do assento a Delta merece uma nota mediana, porque seu produto não é nem muito bom, nem muito ruim, eu avalio na média. 


Agora, quando o assunto é comida, a Delta tira nota máxima. Eu sou muito chato com refeição, e para eu elogiar é porque tem de estar realmente bom. O serviço foi espetacular, e a qualidade da comida melhor ainda. Nesse tópico, a nota para Delta foi máxima. É muito difícil sentir o sabor da refeição em altitude alta, todavia a Delta desenvolveu um excelente trabalho para sua degustação. O serviço também foi alto padrão, e os atendentes de bordo sempre solícitos, e preocupados em te melhor atender.





Em suma, apesar de algumas dificuldades, considero a experiência como boa, mas sinceramente não viajaria de Delta de novo, em função das dificuldades de um passageiro sem status, apenas na executiva enfrenta com a cia aérea. O Serviço e a comida foram muito bons, mas a poltrona era apertada, e o processo desorganizado de fila tanto no check-in e no embarque me deixaram muito desconfortável com a Delta. Além do mais o programa de fidelidade deles é o pior dos três das americanas. Agora, se o valor da cabine executiva da Delta estiver acessível, e for mais barato que a das concorrentes, obviamente eu recomendo a viagem pela Delta, por uma questão de conforto, pois em termos de milha não vale a pena, já que o programa deles, Sky Miles, é baseado no gasto desde o ano passado. A melhor parte da experiência foi o prazer de encontrar o Carlos Zahlouth Jr., leitor do nosso blog, que me achou no avião, e também tem um site, o Le Voyageur. Espero que tenham gostado do relato. Boa Viagem. 

*Todas as fotos de uso proprietário do Blog.



Nenhum comentário:

Postar um comentário