COMPARTILHAR VIA
Pessoal, a Blue Smart One está em promoção na Amazon, mas o que é esse novo troço tecnológico? Isso se trata de uma mala do tipo “carry on-board” com diversos featuretes tecnológicos. A promessa da fabricante é te propiciar com uma ferramenta de viagem mais do que uma mala. Essa mala tem, entre outros aspectos, localizador, carregador, balança, e travas digitais inclusas, bem como o cadeado padrão da TSA. Esse post não é patrocinado, mas apenas uma referência aos questionamentos dos amigos leitores geek.
Eu, particularmente, não recomendo essa mala como carry-on, e vou expor os motivos abaixo:
1 – Localizador: Não vislumbro a necessidade de localizador para uma mala do tipo carry-on, pois supostamente essa mala deve te acompanhar a todo tempo, e a única serventia possível é se de fato alguém furtar sua mala, todavia se você tiver em viagem, terá de interromper a mesma para recuperação, e dependendo do que esteja dentro da mala pode ser mais prejuízo recuperar a mala do que interromper a viagem.
2 – Balança: Essa seria uma excelente opção numa bagagem normal de despacho, mas não carry-on, já que quase nunca a bagagem de mão é pesada, principalmente nos dias de hoje com o check-in virtudal, que você já chega e se dirige diretamente para o portão de embarque evitando assim a fiscalização de sua bagagem de mão. É um item dispensável para esse tipo de mala.
3 – Trava Remota e Aviso de abertura: Nossa, é muito legal, poder travar a mala de um aplicativo no celular e ser avisado quando a mesma for aberta. Mas de novo, e daí? A mala teoricamente estará em sua posse todo o tempo, e pode até viajar destrancada. Daí vem alguém e pergunta: Mas se tiver uma pessoa no avião que gosta de abrir a mala dos outros a noite? Respondo que nada irá adiantar já que o Bluetooth estará desligado, ou deverá estar, e não irá notificar você durante o voo. Logo, independente da trava da mala e notificação é outro featurete dispensável, porque a mala teoricamente deverá estar com você o tempo todo.
4 – Muita tecnologia para pouco uso: Esse é o tipo de produto que costumo chamar de “inovação seca”, assim como o Nubank, que de novo não trouxe nada, mas apenas acessórios integrados, em sua maioria, dispensáveis para o propósito do produto. 
Se isso tudo viesse numa bagagem a ser despachada, logicamente a avaliação seria outra, mas nesse caso me parece que inovaram um produto que na prática não necessita inovação. Assim como minha avó, também penso que não existe som nesse mundo melhor do que um disco de vinil, mas cada um tem sua preferência, e a pedido dos amigos geeks, expus a opinião sobre o produto que antes custava 599 USD, e agora é vendido a 449 USD. Caso você queira testar o produto pode comprar e a fabricante promete devolução do dinheiro em até 100 dias se você não gostar do produto. Você pode adquirir através do link abaixo pela Amazon, que é uma das parceiras do Blog. Boa Viagem.
*Imagem retirada da página oficial da Amazon.