COMPARTILHAR VIA
Pois bem, agora que já foi oficialmente anunciado o Novo Aadvantage para 2016, declaro aqui morta as famosas corridas da milhas, ou “Mileage Run” em Inglês. O Programa AAdvantage sofreu hoje uma grande facada, e era óbvio que o atual programa estava condenado, mas acreditem em mim quando digo que as coisas poderiam ter sido piores. 
Estou escrevendo esse segundo texto em forma de uma análise mais crítica a respeito das mudanças, agora oficiais. Pois bem, vamos começar do pior. ACABOU! Quem viajava por tarifas baratas para acumular milhas tem até a metade do segundo semestre para fazê-lo, depois disso é prejuízo. Vamos a um exemplo básico:
Antes:
GRU – HKG/SYD em Econômica: 25 mil milhas AAdvantage Normal ou 50 mil se for EXP/PLT
Novo Programa (Metade do 2º Semestre de 2016)
GRU – HKG/SYD em Econômica (1.000USD) = 5.000 milhas AAdvantage Normal ou 11 mil Milhas EXP. O Membro Platinum receberá apenas 8.000 milhas.
Com isso a conclusão que chegamos é que as milhas valorizarão, uma vez que será mais difícil de conseguir as mesmas, o que irá agregar mais valor aos cartões de crédito. E então vem a próxima perguntas: Uai, já que as milhas do AAdvantage irão valorizar-se, vale a pena então guardar. Certo? ERRADO. 
Pois existe uma outra alteração no programa. A partir de 22 de Março de 2016 todos os resgates serão baseados na nova tabela que você pode acessar pelo link abaixo. Houve muitas alterações, e não para a nossa surpresa, todos os valores aumentaram, com exceção dos voos TAM no Brasil que antes eram 10 mil milhas, e agora passarão a ser 7.500 milhas, em qualquer rota, o que é bom para quem quer ir para o Norte e Nordeste a partir do Sul e Sudeste.
Mas podemos exemplificar aqui excelentes resgates como Brasil – Europa em Primeira Classe antes por 90 mil milhas e agora por 120 mil, Brasil – Oriente Médio antes por 110 mil em Primeira e agora por 135 mil, e um dos “filet mignon” para quem viaja para a Ásia, EUA e Ásia e Primeira na Cathay antes por 67.500 agora por 120 mil. Então é melhor usar as milhas pagando menos do que guardá-las para uma eventual impossibilidade de uso em razão do valor futuro da tabela.
Agora vamos a notícia boa, apesar da tragédia acima. A qualificação será somente por meio de milhas e segmentos, e essas milhas baseadas em distância ainda com fator multiplicador. Ou seja, será possível voar menos e chegar mais longe na qualificação, isso porque antes não era possível juntar os pontos das classes premium com os da classe normal, e agora será, então com 2 viagens a Ásia ou Austrália em Executiva você já chega a Executive Platinum, ou mesclando 1 executiva com 2 em classe econômica. Com isso obviamente haverá mais elites no AAdvantage, e por isso eles reduziram o número de SWUs (Upgrades em todo o sistema) de 8 para 4 para os EXP a partir do próximo ano. 
Apesar de tudo, ainda continuo com o AAdvantage como meu programa principal. Piorou? Sem dúvida! Foi cópia da United? Algumas coisas sim, principalmente no quadro de acúmulo novo, o que achei ridículo da AA para alguém que disse que iria inovar. MAS é preciso destacar que esse ainda é o melhor programa do mundo com benefícios consistentes, no entanto estou curioso para saber como serão os resultados do Freddie Awards no ano que vem.  Dúvidas? Só comentar abaixo! Boa Viagem!